Conjunto de taikos
Taikos

O significado da alma do taiko é:
‘a confirmação da nossa vitalidade e do grito da nossa alma’;
‘o compartilhamento de sentimentos com os próximos’;
‘o estímulo e o encorajamento recíproco’.
(Daihachi Oguchi)

 

O termo Taiko deriva do (太) “tai” , supremo e (鼓) “ko” , tambor , em algumas fontes a expressão indica Grande Taiko. Trata-se de um instrumento musical de perfomance, suas apresentações de percussão com taiko são acompanhadas de atuações e coreografias sincronizadas. O tambor é confeccionado por uma superfície de pele de animal e uma base de madeira, que ao ser tocada por um bati (baqueta) ou com as mãos emitindo sons e vibrações.

História do Taiko

Segundo Massumi Izumi, Ph. D da Universidade Doshisha de Kyoto, o taiko é considerado como um dos instrumentos musicais mais antigos da humanidade, surgindo até mesmo antes da invenção da linguagem escrita, pois este era utilizado como meio de comunicação entre tribos distantes.
Um dos primeiros registros históricos do taiko no Japão datam no século V ou VI, contudo acredita-se na probabilidade de seu surgimento ser ainda mais antiga. A chegada do taiko no Japão ainda é incerta, contudo, há suposições de sua vinda por meio da incorporação das culturas chinesas e coreanas nos períodos de 300 d. C. à 900 d. C.
O taiko era considerado como um instrumento de batalhas e seus primeiros usos foram por volta de 1500 d. C., também conhecido como jindaiko cujo objetivo era incentivar a tropa, a cadência da marcha dos soldados e demonstram por meio do som, sua imponência perante aos inimigos.

Jindaiko, tambor de guerra
Jindaiko (o taiko de guerra)

Além disso, o taiko também foi empregado em ritos religiosos , como no shintoísmo e no budismo, onde era visto como um elemento sagrado, chegando a ocupar a posição de moradia dos deuses. O bati também era considerado como sagrado, pois este era o elo entre o homem e o tambor para a comunicação com os deuses. Contudo, até então o uso do taiko era restrito aos cultos religiosos ou como instrumento de incentivo em guerras, este era tocado em solo (sozinho) ou em pares. Ainda hoje, festivais religiosos como o Bon Odori utilizam o taiko como acompanhamento em suas músicas e danças.

Tsuridaiko, taiko para religião
Taiko xintoísta

Somente após a Segunda Guerra Mundial, o professor de jazz Daihachi Oguchi conseguiu formar o primeiro grupo de taiko, chamdo Osuwa Taiko , onde juntou taikos de diversos tamanhos tocando em conjunto, além do acompanhamento de flautas de diferentes tamanhos. Este evento foi determinante para mudança no mundo musical japonês.
O projeto de Oguchi permitiu a popularização do taiko, gerando inúmeros grupos profissionais e o surgimento de diversas associações dentro do Japão.
No Brasil, a chegada do taiko no país ocorreu por meio dos grupos Tangue Setsuko Taiko Dojo, Godaiko , Vitória, Byakko e Setsuo Kinoshita Taiko Group , este percorreram todo o país e formaram cerca de 60 grupos totalizando aproximadamente dois mil praticantes, sendo as maiores concentrações nos estados de São Paulo e Paraná.

Daihachi Oguchi
Daihachi Oguchi

 

REFERÊNCIAS:
NAKAMINE, Marcos Yoshihiro – Redesign da base de taikô (Trabalho de Conclusão de Curso)